RaceBrazil

RaceBrazil

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Falar o quê? O céu é Passo Fundo e Guaporé


O amigo Paulo Trevisan que é o titular do Museu do Automobilismo Brasileiro, http://www.museudoautomobilismo.com.br/ organizou uma festa no céu, mas não igual à da fábula.
O museu tem um conceito só visto em museus de aviões no EUA, os carros andam de tempos em tempos em Guaporé e já andaram algumas vezes em Interlagos também.
Pelo segundo ano, o Paulo convidou um bando de malucos de São Paulo e Rio para se juntarem aos malucos locais. Todos foram andar de carros de corrida em Guaporé. O Paulo disponibilizou oito carros de enorme importância histórica: o Kg Porsche Dacon número 7, o Fittivê, o Polar do Jan Balder para o próprio Jan Balder que se emocionou ao ver o carro igualzinho à época que o Jan o pilotou, o Espron BMW, o Kaimman FFiat, o Omega do Jardim, Aldee fechado com motor dianteiro e a cereja do bolo, o FFord do Barrichello.
A recepção foi impecável, o Paulo não mediu esforços para deixar todo mundo à vontade desde a chegada.
No primeiro dia fomos no museu e de noite o Paulo nos ofereceu um magnífico jantar. No dia seguinte cedinho fomos acelerar o dia inteiro e no domingo fomos ver a enorme coleção do Robson Azambuja e depois fomos almoçar na fazenda Graeff. O prato principal foi um churrasco de ovelha de se comer rezando.
A foto acima é do fotógrafo oficial do evento, o Leonardo Panisson, um motoqueiro profissional de arrancada, em resumo, um maluco, mas na situação ninguém reparou nada. Foi roubada do Blog do Saloma na cara dura.
Pela ordem de pé da esquerda para a direita, João César de Soledade RS, 2 que não lembro o nome e espero que alguém identifique, Guilherme do Speedchannel de Juiz de Fora, Anselmo do RS, Leandro Sanco do RS e do Blog de mesmo nome que fala sobre o automobilismo gaúcho, Salomão, mais popularmente conhecido com Síndico do Blog do Saloma, o anfitrião generoso Paulo Trevisan que permitiu a todos acelerarem as preciosidades, Jan Balder que dispensa apresentações, Vicente Miranda o popular Vivi do Rio de Janeiro mostrando a careca e enchendo o saco de alguém falando de Nortons, MGs, BSAs e outras tranqueiras britânicas, a esposa do Vivi, Denise, que em um único caso na história será canonizada em vida, Eric de Sampa é o delinquente juvenil que anda com aquele fusquinha azul fechando rodas em Interlagos, Reginaldo de Santos, sem a sogra, mas com a cartão de crédito da véia que ele detonou lindamente, Vitão e Rodrigo de Sampa que estavam sempre com fome, Francis de Floripa com a família toda, êle, a esposa Aglais com o pequeno João no colo e o filho fotógrafo Gabriel agachado. Agachados da direita para a esquerda. Gabriel já citado, Belair, Zullino, Joaquim, os 3 de Sampa, Seabra do Rio, Aun de Sampa e do RS, um dos Graeff do RS com a camisa vermelha, não identificado de camiseta branca, outro Graeff, não identificado de camisa preta e boné da Ferrari e Luca Furquim de sampa.
Peço a quem saiba identificar que avise para edição do post.
Este blog não tem periodicidade e por isso mesmo será usado para registro e referência do magnífico evento.
Farei posts complementares dando as impressões de dirigir dos carros. O evento está sendo descrito em vários blogs tais como:

Blog do Mestre Joca: http://mestrejoca.blogspot.com/

14 comentários:

Vicente disse...

Trevisan,

Nosso muito obrigado por um final de semana que ficará para sempre na lembrança dos que viveram aqueles três dias de sonho em Passo Fundo.

Zuzu,

Não apenas a Denise será canonizada em vida, mas todos nós que aguentamos você por três dias a fio. Ainda bem que o Quero-Quero de combate que sobrevoava o circuito nos vingou, carimbando seus óculos Climax (Made in Paraguay) e balaclava com sua artilharia ar-terra.

Leandro Sanco disse...

Grande Zullino! Impressionante teu conhecimento em relação a simplesmente tudo do automobilismo: carros, corridas, pilotos, demais! Aprendi muito ouvindo atento a tudo que saia nas conversas com a turma. Que grande prazer conhecer vocês todos.
Um abraço e nos vemos na próxima, se o bom Deus assim quiser.

Antonio Seabra disse...

Ei, Tio Zuza,

Foi muito legal aquele papo pela tarde/noite, eu, voce e o Joca ali na portaria do hotel, durante umas 3 horas. Quantas estorias velhas foram ali ressucitadas heim !
E, um pouco depois, quando voce vinha descendo e eu ainda ia subir pra tomar banho, quase que teve gente passando mal na saida do elevador, né ? Que visão impressionante !!!!

Abraço

Antonio

M disse...

Vivi,
Estou propondo a "tchurma" a formação de um fundo vitalício, com o intuito de garantir ração dupla ao valente quero-quero, como prêmio merecido pela precisa bomba com que ele acertou o Zuzu !
O bicho merece !!!!!

João Cesar disse...

Que merda Zullino, esqueceu que eu tb tô fazendo a cobertura fotografica lá no www.fnva.com.br (Fórum Nacional de Veículos Antigos) - http://www.fnva.com.br/viewtopic.php?f=19&t=18863&start=0 ... hahahahah ... abraço

roberto zullino disse...

Jcesar,
Já roubei uma foto do fnva.

Mestre Joca disse...

O Zullino foi um dos pontos altos da festa. Posa de mau humorado, ranheta, intransigente, implicante, tec, mas é um amor de pessoa. Tudo tipo, figuração.

Na hora necessária exibe um conhecimento quilométrico sobre carros, pilotos, pistas e o que mais vier. Tudo temperado pela velha verve satírica e irônica.

Dedicou-se esses três dias sem sucesso a converter o Vicente Miranda a abandonar esse velho e feio vício de gostar de MGB, BSA, Norton e similares. Mas ainda mantém a esperança....

roberto zullino disse...

Joca,
Já que estávamos no RS eu deveria ter aplicado a metodologia do Analista de Bagé e ter enchido o Vivi de porrada.
É o que farei da próxima vez que ele vier com esse psilones de maquinaria britânica.
Seabra,
O coitado do bellboy virava os zoinhos, a loira era um monumento mesmo. Coisas do SUL.
Leandro,
Foi um prazer estar com vocês, espero que ir de novo de preferência levando o meu carro também. Adorei a pista.

Vicente disse...

Joaquim,
Zuzu agora tá virado naquele coisa ruim. Vixe.... Chama o Caboclo Arruda e o erê Arrudinha. Descarrego nele.

Zuzu,
O Analista de Bagé usava a famosa técnica do joelhaço! Mas não vem que não tem, como dizia o filósofo Carlos Imperial, não vem de escada que o incêndio é no porão. Leia meu comentário acima e veja se aprende aquele velho "deitado":

Quem não pode com mandinga não carrega patuá.

regi nat rock disse...

Cristo madonna mia...
Não gastei o CC da cascajaca não. Ela só fez questão de ofertar o bilhete avionico. Como sou magnânimo, permiti.

No mais, informo que o lambe lambe além do mais é chegado em peripécias aéreas também e é o único lambe lambe que conheço que faz questão de aparecer nas fotos.
Pândego!.

É um fim de semana para jamais esquecer.

Longa vida e plena de realizações aos nosso fantástico Paulo Trevisan e seus Comparsas.

SALOMA disse...

Roberto, neste ano não poderia ficar de fora. Outro que iria se não tivesse "negócios" na terra do Tio Sam, o "M", faria dupla...tentou, juntamente com o Vitão, mas sem sucesso, de tirar o Vivi da ala da Rainha, mas enfim ninguém é perfeito. E trafega por qualquer via de comentário...valeu Zullino! E a tempo, o nosso amigo Guilherme de Juiz de Fora, é um agregado da turma do Curva do S...

Francis Henrique Trennepohl disse...

Zullino, foi um enorme prazer te conhecer, assim como outros que só conhecia pela internet.
O que o Paulo fez pra gente é inesquecível e inexplicável.
Fiquei impressionado com o teu nível de conhecimento sobre carros, histórias e tudo mais.
Aliás, tô rindo até agora daquela história do cara que tinha a loja de peças de moto e quebrava a lâmpada pra não vender. Demais!

PS: Parece que um atirador de elite do BOPE abateu um quero-quero cagão em Guaporé... hahahahaha

roberto zullino disse...

Francis,
Foi muito bom conhecer vocês todos também e a família Trennepohl que não economizou, apareceu completa. Acho que o Gabriel e o João foram mordidos pelo virus da velocidade e vão te dar trabalho, mas isso é assim mesmo, "gueeeeeeeeeenta".
O cara que fazia isso era o Luiz Latorre da rua General Osório em Sampa. Ele era o importador de motos exóticas como Ducati, Gilera, Aermachi Harley Davidson e chegou a importar as Urals russas que eram BMWs feitas na Rússia. O "seu Luiz" era mal humorado e se o camarada reclamasse o preço da lâmpada ele quebrava no balcão e dizia, é caro e não te vendo. Mas era um cara boa gente e sempre me tratou bem e me fez muitos favores quando eu era moleque.
Depois me mande a conta bancária do atirador do BOPE que puniu esse quero quero atrevido.

Francis Henrique Trennepohl disse...

Os dois andam pedindo um kart faz tempo, mas por enquanto, "$em chance$".