Formula Vee Brazil

Formula Vee Brazil
Click na Foto Acima para Saber Tudo Sobre a Formula Vee Brazil

domingo, 12 de abril de 2009

Subida de Montanha








Incentivado pelo Mestre Joaquim vou escrever minha opinião sobre eventos de Subida de Montanha, mais especificamentea do Pico do Jaraguá que conheço melhor.

O evento é muito bom, aparecem bons carros, gente interessante e o melhor é que, ao contrário desses encontros de carros antigos, a coisa não é estática e não se limita a intermináveis discussões sobre originalidade de espelhinhos, cores e outras bobagens, tão a gosto dos colecionadores de môfo e ferrugem. Ou anda ou não anda e se anda tem que andar forte, o relógio não perdoa.

Tudo seguido de um excelente churrasco, cerveja à vontade e papos intermináveis sobre as façanhas dos participantes. Evidentemente, a medida que são consumidas as cervejas, as doses de cascatas e mentiras aumentam, mas isso faz parte, pescadores não chegam nem perto de automobilistas quando o assunto é mentira.

A minha opinião não é bem uma crítica, mas um sentimento pessoal, não gosto de fazer coisas que não conheço e no caso, tenho medo de andar em uma pista que desconheço, simples assim.

Em circuito, o piloto pode treinar e ir aprendendo, em subidas de montanha, o piloto tem que ir improvisando e aprendendo o comportamento do carro. Tem gente que consegue fazer isso e se sente confortável. Tem outros que, em que pese conseguirem fazer, o fazem de maneira mais forçada, que é o meu caso. Ainda há aqueles que não conseguem e acabam destruindo o carro.

Cada um tem que analisar seu posicionamento e se comportar de maneira adequada, afinal estamos lá para nos divertirmos.

Nessa subida das fotos, participei incentivado pelos meus amigos Fritz e "Bigo" que são os titulares das famosas Ferramentas Corneta. O Bigo participou de Mini Cooper e o Fritz de 550Spyder vermelhinho. O Fritz começou a correr junto comigo na equipe do Coruja e perto dos sessenta, mas nem por isso o pessoal dava moleza para ele nas corridas, o cara manda ver e duelar com ele não é fácil, piloto limpo, mas duro. Ambos corríamos de 550spyder, o meu prateado e o dele o vermelhinho.

O mais engraçado é que eu e o Fritz devíamos ser os mais velhos e estávamos de carros sem capota. A molecada na chuva se abrigou em seus carros e nós dois ficamos com os carros debaixo de uma árvore, nos molhamos até a medula. Na foto, os dois "velhinhos" tomando chuva dentro do meu carro, reparem que a organização me sacaneou e deu o número 24. Da próxima vez vou fazer um monte de mal criação se fizerem de novo.

Na prova fui passeando, dirigir o 550spyder na chuva, em uma pista desconhecida e com folhas é impraticável.

Apenas dei uma arrancada para o carro ficar andando de lado e fiz isso incentivado pelos "mininus" Marx que adoram uma bagunça, mas nessa devem ter feito alguma coisa na noite anterior e apareceram sem carro, deve estar faltando carro lá na casa deles.

É cada curva um susto. Sossegamos o facho e fomos desfrutar do churrasco que estava excelente como sempre.

Primeira foto: Juliano "Kowalski" Barata 

22 comentários:

Dinho Amaral disse...

Parabéns Zullino pela iniciativa ! compartilhei várias curvas com esse 550 em Interlagos ! depois me manda uma foto da roda...

abraços

Dinho

Francisco J.Pellegrino disse...

É a experiência falando....no final o churrasco compensa. Penso como vc já estou meio cansado dos Encontros estáticos, gosto é de ficar passeando por aí.

roberto zullino disse...

Dinho,
Enviado, acho que tenho uma foto de nós dois no podio dos 500 km, preciso achar.

Pellegrino,
É isso mesmo, esses encontros nessas estações de água decadentes e ruins perecem velório. Tudo morto falando de morto. Os carros são todos Sissy de carreta.

Muito diferente a Speedy Week de Monterrey/Carmel. Lá tem as 17 milhas para andar e é carro correndo em Laguna Seca o dia inteiro. Tem lugar para os Sissies de carreta, mas não é o principal.

Um dia ainda vão organizar alguma coisa decente do lado de uma pista pelo menos.

Luís Augusto disse...

Roberto, concordo com a observação sobre os colecionadores de eventos estáticos, mas o que sobra para entusiastas com visão um pouco menos radical do que a deles, mas que não têm talento suficiente ao volante para encarar um cronômetro? Me sinto um peixe fora d'água nessa história

M disse...

Só não vou a este evento porque Eduardo é um mau carater.

Anônimo disse...

Olá, de um novato por aqui...
Desconhecia o blog, e as peripécias do titular. Parabéns.
Lindíssimo spyder! Impressionante como seu amigo (Fritz?) está se parecendo comigo nessa foto. Praticamnete um sósia! Rs...
Saluti!
Hugo

Ingo Hofmann disse...

Boa Noite.
Uma agradabilíssima surpresa este ótimo blog.
Quanto a provas de subida de montanha, é lamentável que não as tenhamos mais por aqui.
Estas provas mostram quem realmente é bom piloto pois, não há praticamente como decorar o traçado, como acaba acontecendo nos autódromos.
Não conheço detalhadamente a geografia deste nosso enorme Brasil mas, no Parana temos a serra Graciosa que já foi palco deste tipo de prova e em Santa Catarina há dois execelentes locais; a serra do Rio do Rastro que liga Lauro Múller a Bom Jardim da Serra e a Serra do Corvo Branco em Urubici...

Parabéns pelo conteúdo e pelas belas fotos publicadas.

roberto zullino disse...

Luís,
O problema é o ócio, nesse eventos enessas cidades decadentes a única coisa que tem é falar mal dos outros e fofocar.
Se organizassem um evento ao lado de uma pista e todo mundo tivesse que pelo menos andar a coisa mudaria.

M,
O eduardo também não figura no meu caderninho, mas vamos disfarçar porque se não o Luis manda o pessoal do Juqueri ou do Pinel catar a gente. Ele vai ficar com a impressão que brigamos com todo mundo.

Hugo,
Será que foram separados ao nascer?
Tenho lido suas histórias lá no Saloma e acho que tive um colega que deve ser teu parente.
Lembro que na época o teu pai tinha sido ou ia ser candidato à presidência da república e comentávamos isso, mas não me recordo o nome.
Estudávamos no Externato Ophélia Fonseca na Rua Bahia no Pacaembú. De lá sairam grandes pilotos, mas o Luizinho foi o melhor de todos.

roberto zullino disse...

Ingo,

Fotos bonitas quem tem é você, tenho reparado na coleção.

É isso mesmo, circuito e pista são animais diferentes.

Quando eu acompanhava mais, existia o Europeu de Montanha e tinham uns caras como o Gerard Mitter que ganhavam todas com uns Porsches inferiores a muitos carros, mas nunca se dedicaram muito a circuitos.

As duas coisas eram mais próximas quando existiam provas do tipo Targa Flório, Mille Miglia e mesmo Nurburgring, era praticamente impossível treinar e aprender o circuito. No final eram provas muito semelhantes às Subidas de Montanha.

M disse...

Quando o diabo carregar o Eduardo, talvez eu vá.
Me avise !

roberto zullino disse...

M,
Segundo as más línguas e as boas também, o diabo tentou, mas ficou com medinho.

Renato Bellote disse...

Realmente, como disse o Ingo, faltam provas do gênero no país.
Precisamos levar esse 550 para a Garagem.

abs

roberto zullino disse...

Renato,
O carro não está "mint condition", é um "workhorse" e tem marcas das batalhas. Preferi mantê-lo assim.
Está à sua disposição.

Anônimo disse...

Cada vez que subo a serra de Petrópolis, fico sonhando com uma prova de subida de montanha alí...
É uma pista perfeita, e que está pronta!
Concentração e largada naquela área enorme do pedágio, e término no Belvedere, com acesso à descida.
Para não engarrafar, o tráfego normal poderia subir pela descida, em mão dupla, como fazem quando tem consertos na pista de subida.
Quanto tempo demoraria uma prova?
Alguém sabe quem deveria propor a quem, uma coisa dessas?
Hugo

Juliano "Kowalski" Barata disse...

Olá Zullino, respondendo à sua indagação do post anterior, o autor das fotos da subida da montanha sou eu. Belo blog!

[]s!

Anônimo disse...

Hugo, toda vez que subo a serra penso a mesma coisa! Acho que dá uns 8 minutos de subida. Abs, fred

Francisco J.Pellegrino disse...

Quando venho de Bertioga rezo para que a subida da Anchieta esteja aberta, pelo menos dá para matar a saudade...subir pelas Imigrantes a gente dorme....Gostoso é descer com o Camaro automático de freios ruins...é uma aventura deliciosa...

+Rafael+ disse...

E por que vetaram os carros modernos de participarem da subida?

Eu gostaria de participar um dia.

roberto zullino disse...

Carros modernos participam desde que tenham algum atributo que a organização ache relevante. Neste ano participaram duas Alfas Spyder modernas. Acho que im Subaru também. Gol, Palio, Vectra e outros carros normais, acho que ficam de fora.

giancarlo biatti disse...

a minha 300 SL anda com uma facilidade impressionante,apesar de seus 36 anos de experiencia,sólida como uma pedra e leve como uma borboleta.
obs:alguem aí sabe onde posso encontar um carburador original mercedes?

Rubens Leal Casses disse...

Sr. Anônimo
Respondendo o post, acho que realizar a subida Rio-Petrópolis hoje em dia é impossível, pois a estrada é muito movimentada e os usuários "normais" não gostariam de sacrificar a viagem em prol de alguns "loucos", assim como a administração pública não enfrentaria a ira dos "eleitores" descontenets com o atraso do passeio.
Acho mais facil realizar uma prova de subida de montanha em pequenas cidades do interior...onde sempre existe uma estradinha sinuosa em aclive...e certamente a Prefeitura local apoiaria pois além de recursos como hospedagem etc...o Prefeito ganharia uns votos a mais na próxima eleição!
Em 2005 realizei uma prova de subida de montanha no interior de SP, numa estrada vicinal entre as cidades de Monte Alegre do Sul e Serra Negra...mas sempre acontecem alguns imprevistos e neste caso, a Prefeitura local me deixou na mão...na última hora...mas foi tudo legal!
Se quiser...pode contar comigo para ajuda-lo?
abçs

Rubens Casses disse...

Inscrições abertas pelo site www.meucarroveio.com.br!
22 de outubro - 6° Puma Day - Subida de Montanha.
Vagas limitadas, apenas 25! Corram!

https://www.facebook.com/events/266747787018401/

https://www.facebook.com/groups/250787015271319/